7 de dez de 2011

Parcerias "inusitadas" no mundo do rock.


Desde os anos 60 que o rock n' roll já não é exatamente um estilo musical puro, muitos músicos a procura de novas sonoridades acabam trazendo para o estilo alguns elementos de gêneros diferentes, foi assim com o Deep Purple e a música clássica, com o King Crimson e o jazz, com o Jethro Tull e o folk, dentre inúmeros outros. No entanto, ainda hoje a união de bandas de rock com artistas de outros estilo causa alguma estranheza em alguns ouvintes, algumas dessas parcerias acabam dando terrivelmente errado, já outras resultam em preciosas obras de arte, hoje eu listarei aqui no Hoochie Koo alguns exemplos de ambos os casos, cabe a você decidir qual pertence a qual.

Sepultura e Zé Ramalho - A Dança das Borboletas


Angra e Milton Nascimento - Late Redemption


Nick Cave e Kylie Minogue - Death Is Not The End


RUN-DMC e Aerosmith - Walk This Way


Anthrax e Public Enemy - Bring the Noise


Alice Cooper e Kesha - What Baby Wants


Rihanna e Slash - Rockstar


The Beastie Boys e Kerry King - No Sleep Till Brooklyn


Thom Yorke e Bjork - I've Seen it All


Peter Gabriel e Kate Bush - Don't Give Up

2 comentários:

Saudações.
Eu, particularmente, aprovo as parcerias e encontro nelas boas dicas de para onde nossos ídolos estão olhando. O Sepultura é uma banda corajosa e arriscou perder seus fãs mais radicais em troca da liberdade de seguir em frente com seu conceito de música. Nick Cave é capaz de envolver qualquer um que se aproxime dele com sua nuvem negra de desolação e seu vozeirão sombrio (e nem a estética jovial da pobre Kylie Minogue mantém-se nessas condições). RUN-DMC e Aerosmith e Anthrax e Public Enemy foram os marcos da miscigenação musical, a primeira vez que universos distintos colidiram e perceberam que podiam coexistir e compartilhar. Os Beastie Boys sempre foram provocadores no melhor sentido da palavra: nunca se contentaram em ser apenas o grupo de brancos do Rap: queriam (e ainda querem) sempre mais. Thom Yorke e Bjork, na minha modesta opinião, são geniais mas são bem mais parecidos do que parecem. Ambos buscam linguagens diferentes sempre que possível, ambos tem uma bagagem musical que permite transitar do Rock às sinfonias eruditas, passando pelo experimentalismo eletrônico, sem fazer feio. As outras parcerias eu não conhecia e prefiro deixar pra comentar quando conseguir constituir uma opinião sobre).
Ah! E Alice Cooper.. é Alice Cooper! Pode fazer até parceria com Padre Marcelo que vai continuar sendo o Pai do Horror Shcok Rock!
Parabéns pela abordagem e viva a oxigenação!
(ah, sim! eu aprovo também a parceria Lou Reed e Metallica!)

Saudações meu caro Hellraiser. Realmente, parcerias são sempre bem vindas, independente do resultado. Concordo com você sobre Thom Yorke e Bjork, eles realmente são parecidos em suas visões artísticas, mas eu particularmente acho o Thom Yorke muito mais ligado ao rock. Eu ainda não tinha ouvido essa parceria do Alice Cooper antes de fazer o post, e nunca gostei nenhum um pouco da Kesha, mas devo admitir que a música ficou muito boa. Também pensei em colocar o Lou Reed E o Metallica, mas a idéia do post era mais bandas de rock se misturando a outros estilos, na minha concepção o Lou Reed é tão rock quanto o Metallica, embora as sonoridades de ambos sejam de um contraste gigante, não obstante, talvez eles apareçam em um post futuro, quando essa obra esquisita chamada Lulu seja melhor absorvida.

Valeu pelo excelente comentário, abraços!.

Postar um comentário